segunda-feira, 10 de outubro de 2016

São Carlos na final

Da esquerda pra direita, em pé: Schumacher, Sete, Último, Ramon, Tui, Snow, Pezão, Burro, Totoro, Leo, Camarão, Wil, Tocha, Jajão, Barna, Laranja, Cuia, Curumim e Portugal; agachados: Bolt, Jean, Zito, Igor, Luis, Mussum, Tarja, Mukito, Liminha, Pastel, Boquinha, Jaú, El, Ito, Jonny, Boca e Pedro; sentado: Bubina. Foto: Ana Paula Dibo
Em uma semana que prometia encerrar-se com um tempo gelado e chuvoso, o sábado (8) foi de sol quente e tempo seco. E foi assim, sob 31ºC, que o São Carlos recebeu o Wally's em partida válida pela semifinal do Paulista B 2016. E, como esperado, o embate entre a segunda e terceira melhor campanha da primeira fase foi bastante equilibrada.
Foto: Anna Laura Pereira Rossi
Toda a primeira metade do primeiro tempo foi de equilíbrio, com as equipes trocando a posse de bola e mantendo suas ações nas partes centrais do campo.
Quando o placar parecia que se manteria no 0x0, Tarja avançou pela ponta direita e, mesmo sendo acossado por um adversário, abriu o placar para o São Carlos com um try, que não foi convertido. Eram passados 20 minutos do primeiro tempo e o árbitro parava o jogo para hidratação dos atletas.
Na volta da parada de hidratação, o São Carlos mostrava-se um pouco melhor que os alvi-rubros e, aos 29 minutos, pontuaram com um penal convertido por Boquinha. Menos de três minutos depois, o Wally's diminuiria o placar convertendo, também, um penal.
A reação do São Carlos veio a galope: em mais um jogada pela ponta direita, Boquinha avançou e marcou mais um try para o São Carlos. Ele mesmo converteu e ampliou para os rinocerontes.
Antes da marcação do try, porém, o árbitro amarelou um jogador de cada equipe por desentendimento em uma jogada na lateral. O São Carlos ficaria sem seu ponta Mukito por 10 minutos enquanto o Wally's perderia, pelo mesmo tempo, um de seus asas. Cinco minutos depois, chegava ao fim o primeiro tempo da partida e o São Carlos vencia por 15 a 3.
Pouco depois das 16h, começava o segundo tempo e o São Carlos se mostrava completamente comprometido com a vitória, atacando impiedosamente a equipe louveirense. Aos 13 minutos, porém, uma cena lamentável: após um line out do São Carlos e um ruck dentro dos 5 metros do ingoal, um jogador do Wally's pisou na cabeça do pilar Bubina. O árbitro, sem dúvida alguma, expulsou o jogador de Louveira no mesmo instante. Felizmente, o jogador são-carlense não sofreu nenhuma fratura e os cortes na face não foram muito profundos e ele deverá estar em campo na próxima partida.
Aproveitando-se do seu jogador a mais, o São Carlos intensificou suas investidas contra a defesa branca e vermelha sob o massivo apoio da torcida, que não parava de gritar o marcante "VAMO SÃO CARLOS!". Ainda assim, o placar seguia 15 a 3 para os donos da casa e mais uma parada para hidratação era determinada pelo árbitro.
O Wally's voltou da parada de hidratação buscando a virada e conseguiu manter mais a bola consigo nesse período. O São Carlos seguia se defendendo bem mas, aos 31 minutos, Zito tomou cartão amarelo e deixou as equipes com números iguais. O Wally's seguia crescendo na partida. Aos 37 minutos, mais um amarelo para São Carlos. Com a suspensão de Boquinha, era o São Carlos que passava a ter um jogador a menos e precisava segurar o ímpeto dos listrados em busca da vitória.
Foto: Anna Laura Pereira Rossi
E o São Carlos mantinha-se firme na defesa, rechaçando cada ataque do Wally's e mantendo o seu ingoal seguro. Todavia, o calor e o esforço físico cobraram seu preço e o cansaço prevaleceu: depois de mais de 10 fases, o Wally's conseguia marcar seu try. Em silêncio absoluto, a torcida acompanhou a conversão ser realizada e o placar ficar em 15 a 10 para o São Carlos. O Wally's precisava de apenas mais um try para empatar a partida e uma conversão para virar o placar. Contudo, o tempo já passava dos 40 minutos e a vitória do São Carlos estava assegurada! Jogadores e torcida explodiram em alegria com o apito final e tomaram o campo para a comemoração! O São Carlos, pela primeira vez em sua história, chegava a final do Paulista B e ficava a um passo de chegar à elite do rugby estadual! E a vitória foi duplamente comemorada pois, com o Templários vencendo o Tornados na outra semifinal, a final será em São Carlos já que a equipe são-carlense teve melhor campanha na primeira fase.
"Chegar a essa final inédita nos enche de satisfação. Só nós sabemos o caminho difícil que percorremos sem nenhum apoio institucional, só com o apoio de poucas, mas generosas, pessoas que acreditaram em nosso trabalho. Temos orgulho da nossa camisa, do sacrifício dos nossos jogadores e do esforço imensurável de nossa diretoria para que tudo aconteça. E vamos nos esforçar ainda mais para trazer esse título para São Carlos e levar o rugby do interior para a elite paulista", comentou Curumim, Presidente do São Carlos.
Foto: Anna Laura Pereira Rossi
"Nosso time entrou com uma boa proposta e tentamos imprimir nosso jogo desde o começo, com nosso padrão bem estruturado e mantendo o ritmo forte. Mas o Wally's entrou bem também e conseguiu nos segurar nos primeiros 20 minutos do jogo. A partir desse momento conseguimos superá-los e tivemos nosso melhor momento, quando marcamos duas vezes", declarou Jean Marc Volland, treinador da equipe. "No segundo tempo, provavelmente por causa do físico, erramos um pouco mais e tivemos alguns problemas disciplinares que nos complicaram. Mas, com muita garra e vontade por parte dos nossos jogadores, conseguimos manter a vantagem e conquistamos a vitória. Fiquei muito satisfeito com a postura dos jogadores que mesmo quando a situação ficou desfavorável e o adversário optou pelo jogo sujo, mantiveram a cabeça no lugar e o foco no nosso padrão mostrando nossa boa fase", completou Jean.
"Acho que nos comportamos bem diante de um mata-mata. Não mudamos o que estávamos fazendo desde o começo do ano nem no que acreditávamos ser melhor. E isso repercutiu no sentimento de grupo, que acabou sendo um fato muito importante para a vitória - principalmente nos 20 minutos finais", comentou o capitão Tarja. "Ainda assim, acho que pecamos em não pontuar mais, dado as oportunidades criadas pelo time e a quantidade de posse de bola que tivemos. Mas, agora, é virar a página e se preparar para a final!".
O vice-capitão Pastel, que comandou a equipe de dentro de campo durante o segundo tempo, declarou: "Acho que foi um jogo bastante parelho, com as duas equipes dando tudo em campo, mas nosso entrosamento, foco e determinação em vencer acabou falando mais alto. Agora é continuar treinando forte e manter a cabeça no lugar pra grande final".

Além da partida

Antes da partida semifinal, juvenis do São Carlos e do Locomotiva realizaram uma partida amistosa de seven-a-side. Tal jogo foi uma iniciativa para dar mais volume de jogo à equipe, bem como serviu para integração entre o time e os pais dos atletas.
Também houve a arrecadação de alimentos para a Rede Feminina São-carlense de Combate ao Câncer, em mais uma edição da Campanha do Outubro Rosa do São Carlos: foram arrecadados cerca de 40kg de alimentos que serão entregues à Rede Feminina o mais breve possível.

O São Carlos tem como patrocinadores a clínica de fisioterapia Fisio & Cia., o sistema de rastreamento animal AnimallTag e a loja de suplementação La FitStore, conta com a parceria do Escritório de Contabilidade Valverde, do Bar do Alex, da academia Território Fit, da Passeio do Pet, do restaurante You Oki, da clínica Cuhidar, da Pupilar Ótica, da Otimize Fisioterapia, da cirurgiã dentista Gabriela Facchini Lee, da sorveteria Ice by Nice, do Bar do Português e tem o apoio dos departamentos esportivos e das Atléticas da USP São Carlos e da UFSCar.

2 comentários:

Unknown disse...

Vamo são Carlos! São Carlos não para!

Rafael Chagas Vicente disse...

Vamo são Carlos! São Carlos não para!