História

O rugby aparece pela primeira vez em São Carlos na década de 1980 com uma equipe de rugby que se formou na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), mas que deixou de existir antes final dessa década.
Posteriormente e, aparentemente, sem ligação com a equipe ufscariana, uma equipe é formada no início da década de 1990 no campus da USP São Carlos, reunindo estrangeiros adeptos da modalidade que chegaram em São Carlos para estudar e moradores da cidade dispostos a praticar o esporte. Com isso, formou-se o São Carlos Rugby Clube. Fundado em 11 de setembro de 1990, a equipe chegou a disputar alguns campeonatos oficiais, como o Paulista e o Brasileiro. Entretanto, com o passar dos anos e conclusão da faculdade de membros da equipe, a mesma chegou ao fim por volta de 1995.
No ano de 2000, Jean Marc Volland (atleta do São José Rugby e Seleção Brasileira) e André Rudge Barbosa (atleta do Campinas Rugby), chegam em São Carlos para fazer faculdade. Sem se conhecerem, Jean e André passam a procurar por treinos de rugby na cidade e, casualmente, acabam por se encontrar e vão em busca de novos companheiros para montar uma equipe. Conseguindo adeptos dentro das universidades e recebendo reforço dos remanescentes da equipe noventista, em 6 de março de 2000 é então fundado o Rugby São Carlos. Em pouco tempo a equipe conquista membros da comunidade são-carlense e acaba por se consolidar como representante da cidade de São Carlos.
Em seus primeiros anos, o São Carlos disputa jogos amistosos e torneios regionais de forma intermitente. Todavia, no ano de 2005, em conjunto com outras equipes do interior de São Paulo, o São Carlos funda a Liga Paulista de Rugby (LIPAR) e cria o Campeonato Paulista do Interior (CPI)  para dar vazão aos anseios das equipes interioranas que não tinha condições de jogar o Campeonato Paulista ou o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil. Nesse mesmo ano o São Carlos fica com o vice-campeonato da competição.
Em 2006, a equipe se supera em relação ao ano anterior e se sagra campeã do torneio antes mesmo do término das 8 etapas. No ano de 2007 a equipe termina na terceira colocação enquanto que em 2008 fica, uma vez mais, com o vice-campeonato. No ano de 2009, em meio algumas mudanças na competição, o time termina em quinto colocado.
Em 2010, o campeonato aumenta seu número de participantes - são 18 no total - e inclui equipes do litoral, do Vale do Paraíba e da capital. O São Carlos termina o campeonato em nono lugar. No ano seguinte, a equipe fica em oitavo na competição, garantindo, assim, vaga na primeira divisão do CPI 2012 - em mais uma mudança na estrutura do campeonato que, nesse momento, passa a ser reconhecido pela Federação Paulista de Rugby como "chave do interior" da segunda divisão do Campeonato Paulista. Nessa nova configuração, a equipe termina o campeonato na sexta colocação.
Em 2011, a equipe também consegue bons resultados nas competições de seven: representando a cidade de São Carlos, é a primeira campeã do Torneio de Rugby dos Jogos Abertos do Interior de São Paulo (modalidade seven-a-side), realizado em Mogi das Cruzes. Os mesmos bons resultados apareceram em 2012 na categoria, sendo o 3º lugar dos Jogos Abertos, em Bauru, a principal conquista do ano.
Em 2013, visando reformulação administrativa e esportiva, a equipe se retira do CPI e cria, junto com as equipes do Locomotiva Rugby Clube (Araraquara) e o Ornitorrincos Rio Claro Rugby (Rio Claro), a Copa Central de Rugby e sagra-se como o primeiro campeão. Além disso, têm, novamente, boas participações nas competições de sevens: é campeã do Ribeirão Sevens, fica em 5º nos Jogos Abertos - realizados em Mogi das Cruzes -, vence o I Sanca Sevens e fica com o título da Taça Bowl do SPAC Lions em sua primeira participação no torneio. Esta foi, infelizmente, a última participação do rugby nos Jogos Abertos.
Em 2014, a equipe inicia o desafio de jogar o Campeonato Paulista na divisão de Acesso (atual Série C). Foram 11 jogos e 11 vitórias, tendo a melhor defesa (101 pontos sofridos), o melhor ataque (581 pontos marcados), os três maiores trymen (jogares com mais tries) da competição e o artilheiro da mesma. Com isso, conquista uma vaga para o Campeonato Paulista de Rugby Série B, também denominado como Copa São Paulo. 
No sevens, a equipe participa com dois times no II Sanca Sevens: São Carlos e Hippoporosos, sua equipe de veteranos. O São Carlos fica com o vice-campeonato, sendo superado pela equipe do Corinthians Rugby, enquanto o Hippoporosos fica com a 4ª colocação. Participando novamente do SPAC Lions, a equipe conquista a Taça Shield.
Em 2015 a equipe de XV faz boa campanha em sua estreia na Série B do Paulista (Copa São Paulo), conquistando a 5ª colocação. No sevens, a equipe se sagrou campeã do II Rio Claro Sevens e, no III Sanca Sevens, contou novamente com duas equipes: São Carlos e Hipopótamos MMXV (Hippoporosos). A equipe do São Carlos, uma vez mais, sagrou-se vice-campeã enquanto o Hipopótamos ficou com a 6ª colocação.
No ano de 2016, a equipe fez sua segunda temporada seguida na Série B do Paulista (Copa São Paulo) e se sagrou campeã do torneio ao vencer o Templários Rugby Clube na final. Com a conquista, a equipe ganhou o direito de disputar o Paulista A no ano de 2017, numa "ascensão jamais vista desde a implantação do atual sistema de divisões dos campeonatos estaduais", segundo a Federação Paulista de Rugby.

Parte da equipe campeã em 2006 (Etapa de Campinas)
Da esquerda pra direita, em pé: Caiçara, Praga, China, Bubinão, Twain, Jean, Muay, Vini e Bombeiro; agachados: Pintor, Lagarto, Cachorrão, Ranso, Brown, Slot, Vareta e Vinícius.